Grupos 2012

PÓLO 1 – Resgate das Manifestações tradicionais brasileiras

Grupo Votubumbá (samba de bumbo): grupo criado na cidade de Santana do Parnaíba promovendo o resgate e perpetuação do samba de bumbo, ritmo tradicional oriundo das fazendas de café do interior paulista. O grupo nasceu através de uma iniciativa do instituto Sufrutoverdeus com jovens da cidade que estavam interessados nesta manifestação popular.

Arrastão do Beco – Música Percussiva Popular Situado na zona sul de São Paulo, fundado em agosto de 2007 pela percussionista e arte educadora Mônica Santos, o grupo difunde através do canto, dança, música de percussão as tradições dos folguedos populares da cultura popular e afro-brasileira. Tem como tema de pesquisa principal a identidade do maracatu de baque virado, buscando suas referências nas nações de maracatu de Pernambuco. Além do maracatu, o grupo reproduz os batuques, os cantos e as danças dos candomblés das nações de Angola e Kêtu, baseados nas matrizes do candomblé da Bahia e de São Paulo.
Hoje somando 15 integrantes, o Arrastão do Beco se debruça na confecção e exercício de um repertório que promove a inovação com elementos tradicionais.

Ingoma Paulista (samba de bumbo): Surgido no ano de 2009 como um núcleo anexado ao grêmio Kolombolo Diá Piratininga (o mesmo que realiza o tradicional Praça do Samba todo último domingo do mês) e depois conquistou autonomia em 2011, trabalhando com elementos tradicionais do Samba de Bumbo, que junto com o Jongo e do Batuque de Umbigada, constitui a trilogia das manifestações negras originadas no tempo da escravidão ainda hoje praticadas no Estado de São Paulo.

Grupo Cangarussu: Formado no ano de 2008 pela iniciativa do músico Gilberto Santana em reunir pessoas interessadas em trabalhar com diferentes influências da cultura brasileira: passando por maracatus, ritmos de candomblé, cantos indígenas, toques africanos, jongo, afoxés, samba-reggae, entre outros, o grupo traz releituras de matrizes, novas e seculares, que compõe a musicalidade e a corporalidade brasileira. O grupo integra um corpo percussivo, de dança e de canto em pesquisas e espetáculos inspirado por este universo e seus fundamentos. 

Companhia Caracaxá: Grupo de maracatu de baque virado formado no ano de 2003, com a intenção de reproduzir fielmente, em São Paulo, a música das Nações de Maracatu de Pernambuco. Este cuidado e atenção se refletem na instrumentação do grupo, que trabalha exclusivamente com tambores de macaíba, de maneira a representar não apenas o ritmo e os arranjos daquelas nações, mas também parte da sonoridade e potência de som que as caracterizam. Entre as influências do grupo podemos citar diferentes Nações localizadas em Recife e região, como o bairro do Pina (zona sul), Alto José do Pinho (zona norte) além das cidades de Olinda e Igarassu.

Gestos Sonoros: Provocação sinestésica e subversão da lógica musical produção-fruição é o que Bruno Duarte busca causar naqueles que entram em contato com o grupo Gestos Sonoros. Há cinco anos o músico e musicoterapeuta pesquisa e desenvolve uma linguagem própria de gestos para regência de improvisação musical. Desde 2009, ele comanda os 9 instrumentistas (de corda, sopro, percussão e, em algumas ocasiões, voz) que integram o grupo. Além do repertório de gestos autoral, com o qual rege as apresentações, Bruno estuda Libras (Língua Brasileira de Sinais) para possibilitar que, além do público em geral, deficientes auditivos frequentem as oficinas de percussão que ministra paralelamente aos shows do grupo.

Companhia de Artes do Baque Bolado: Atuando há mais de 16 anos no cenário artístico de São Paulo, a Cia. de Artes do Baque Bolado faz parte do movimento cultural iniciado na década de 1980 de pesquisa e divulgação de diversas manifestações tradicionais. Durante esse tempo desenvolveu seu próprio processo criativo, servindo de base para uma série de outros grupos. Hoje, a Cia. de Artes do Baque Bolado busca abrir portas e desmistificar preconceitos, sendo fruto da necessidade de dançarinos, músicos, atores, artistas plásticos e circenses de brincar com a enorme fusão cultural deste país, aliando a multiplicidade da cultura popular à experiência de artistas que vivem numa das maiores metrópoles do mundo.

PÓLO 2 – Diálogo entre o tradicional e o Urbano – A palavra na cultura de rua – Hip Hop, Saraus

  • Programação Infantil

Trupe Trupe

Núcleo Flôr de Manacá

  • Programação Sarau / Cordel

Coletivo Perifatividade

Fernado Correa (Literatura de Cordel)

  • Programação Rinha de MC’s

Augusto O.J. (Augusto de Jesus)

Moita Treta MC (Cauê Fernandes)

Daniel Raillow MC

Gah MC (Gabriel Muniz)

Murilo SDC (Murilo Soares)

Richard Pereira

  • Programação DJ’s

OutrosBrasisCrew

  • Programação B-Boys

Laerte Souza Theking Sarará Sarassará

  • Programação Musical

Engrenagem Urbana

Fagner Faria

Max B.O.

  • Programação Grafitti

Mogle (André Bracale)

Harã Nascimento

LahMah (Laís Fernanda)

Alemão Stencil (Luiz Henique de Souza)

Sou Lamah (Marisa)

Pamela Rosa Bien

Pati Pilé (Patrícia Gomes)

Langa Krishina Kanta (Reginaldo S. da Rocha)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s